(16) 3363-3012 faleconosco@eyetec.com.br
Saiba como escolher o lensômetro digital ideal para a sua necessidade

Saiba como escolher o lensômetro digital ideal para a sua necessidade

O lensômetro é um equipamento fundamental para óticas, laboratórios e consultórios oftalmológicos.

Alguns profissionais acreditam que o lensômetro é um equipamento completo, tanto na utilização como na escolha do modelo ideal para atender sua necessidade.

Continue conosco neste artigo e veja um pouco mais sobre o que é o lensômetro, suas funcionalidades e como selecionar o melhor modelo digital para atender suas necessidades e do seu atendimento.

 

O que é o lensômetro?

O lensômetro é um equipamento destinado à conferência do grau das lentes de óculos ou lentes de contato.

Para entendermos o funcionamento do lensômetro, vamos primeiro falar sobre o processo da definição do grau do paciente.

Geralmente, as lentes de grau, sejam para óculos ou contato, são desenvolvidas de maneira personalizada para cada paciente, para o qual foram definidos diversos parâmetros.

Esses parâmetros são únicos para o paciente e dentre eles está a dioptria, ou o chamado grau da lente. A dioptria do paciente é induzida pelo material e também pela sua espessura.

A medida da dioptria para o grau correto do paciente é realizada pelo lensômetro, através do procedimento denominado lensometria.

 

Como o lensômetro funciona?

Antes de realizar a lensometria, é preciso a prescrição das lentes corretoras e os óculos ou lentes de contato do paciente. Isso possibilita a comparação precisa, desconsiderando danos nas lentes ou falhas do equipamento.

Com o lensômetro, é efetuada a medida do poder focal posterior da lente pela distância em que os raios paralelos entram no foco. Essa é a forma de determinar o grau das lentes, sejam dos óculos ou de contato.

Apesar de parecer complexo, um procedimento de lensometria pode ocorrer em até 30 segundos para medidas de lentes simples.

O lensômetro digital garante a medida precisa da dioptria da lente. Para óticas e laboratórios, esse equipamento é fundamental para assegurar que os graus do paciente estejam de acordo com o que foi prescrito pelo oftalmologista.

Para a conferência das lentes, o lensômetro digital realiza captura de luz LED verde e técnicas de detecção automática de lentes. Assim, ele consegue identificar a potência de lentes simples, multifocais e progressivas com alta precisão.

Quando as lentes estão alinhadas com o monitor do lensômetro, o equipamento efetua a medida automaticamente através da transmitância UV da lente.

Atualmente, a legislação brasileira exige que óticas e laboratórios utilizem o lensômetro digital. Mas independente da obrigatoriedade, esse é um equipamento que facilita e muito a conferência do grau do paciente.

Agora que você sabe um pouco sobre o lensômetro digital e suas funcionalidades, veja como escolher o melhor modelo digital que vai atender suas demandas.

 

Qual é o melhor tipo de lensômetro digital?

Em primeiro lugar, antes de adquirir um lensômetro digital, é importante definir onde ele será utilizado: no balcão da óptica, no laboratório ou no consultório.

Para utilização em balcão, o ideal é a utilização de um lensômetro digital de funções rápidas e simples. O importante é ter um processador de alta potência.

Existem modelos que possuem funções extras, como leitura de tratamento de Luz Azul, chamada Blue UV, velocidade maior e acessos a pontos de luz ou via bluetooth. 

Para uma óptica, manter um lensômetro digital para a conferência do grau dos clientes é uma excelente forma de impressionar e realizar um marketing indireto. 

Afinal, investir em equipamentos com tecnologia inovadoras e que levam mais praticidade ao atendimento aumenta a confiabilidade dos clientes.

Para consultórios oftalmológicos, o lensômetro digital indicado é o mesmo tipo utilizado em óticas. É muito comum que pacientes levem óculos ou lentes de contato para conferência pelo próprio oftalmologista.

Logo, vale a pena o profissional manter um lensômetro digital no consultório para garantir o grau correto de seus pacientes e estreitar as relações de confiança com o paciente.

O lensômetro digital destinado a laboratórios de montagem e surfaçagem possui funcionalidades específicas como tela touch e conferência de montagem.

As vantagens de se utilizar um lensômetro digital em laboratórios é a precisão e rapidez das demandas. Por trabalharem com a confecção de diversos produtos e em alguns casos, atender mais de uma ótica, o lensômetro digital é um facilitador da rotina operacional.

Uma das vantagens do lensômetro digital é ser praticamente automático. Uma vez que as preferências de leitura na memória são salvas, os resultados das dioptrias são exibidos em segundos.

O lensômetro digital dos laboratórios funciona diretamente na energia, sem necessidade de pilhas. Por sua leitura ser bastante sensível, é recomendado não variar a corrente elétrica, utilizando o equipamento conectado a um estabilizador ou no break.

Apesar de ser um equipamento de alta precisão para a conferência de lentes e possibilitar a identificação de qualquer problema com as lentes, o lensômetro digital ainda não possui uma grande aderência, devido ao seu preço.

Alguns laboratórios preferem utilizar o lensômetro manual, que depende da perícia do profissional para a conferência exata, bem como proporciona uma atividade mais demorada em comparação ao lensômetro digital.

Para quem deseja investir em produtividade e precisão na conferência do grau das lentes prescritas, o lensômetro digital é um equipamento fácil de ser utilizado, que promove maior segurança na operação. Com todas as suas vantagens, seu investimento é recuperado de maneira rápida.

 

Lensômetro Ezer tem que ser com a Eyetec!


Os equipamentos Ezer são internacionais, e a  Ezer  é exclusiva para o mercado na América latina!

Devido ao nosso atendimento padrão, que visa valorizar uma excelente experiência de compra – tanto na pré, durante e pós venda – e ao nosso histórico, a Ezer escolheu a Eyetec para ser a revendedora exclusiva da marca aqui no Brasil!

Venha conhecer a linha Ezer, vendida exclusivamente pela Eyetec, e leve para seu consultório, laboratório ou óptica uma solução de lensômetro digital fabricado com altos padrões de tecnologia!




O que achou deste artigo? Deixe seu comentário, compartilhe nas suas redes sociais e continue acompanhando nosso blog para outras novidades. Até a próxima! 😉

 

5 apps para facilitar a rotina de oftalmologistas

5 apps para facilitar a rotina de oftalmologistas

 Os médicos oftalmologistas já contam com diversas inovações tecnológicas nas áreas de diagnóstico e tratamento.

O que muitos desconhecem é que já existem aplicativos que podem facilitar ainda mais a rotina de atendimento e também da clínica. Tudo de forma prática, utilizando o smartphone.

Elaboramos uma lista com 5 apps que vão otimizar a rotina da sua clínica e também o atendimento de seus pacientes por meio do seu smartphone. Continue sua leitura e aproveite!

Aplicativos para facilitar o atendimento de oftalmologistas

A área de saúde, especialmente a oftalmologia, já possui à sua disposição diversos aplicativos que otimizam o atendimento do médico oftalmologista e também de seus pacientes.

Muitos desses aplicativos permitem que, através do smartphone, o médico oftalmologista possa ter maior facilidade para acompanhar e organizar seu atendimento com muito mais agilidade.

No mercado atual, alguns aplicativos possibilitam não só o gerenciamento do consultório, como também atendimentos de telemedicina. Essa modalidade expande o atendimento do médico oftalmologista além das fronteiras do consultório, principalmente em períodos de pandemia e isolamento social.

Para você que deseja facilitar sua rotina de atendimento e aproveitar ao máximo o que as inovações tecnológicas podem oferecer para a medicina oftálmica, listamos 5 aplicativos que vão potencializar o atendimento e tratamento de seus pacientes.

Eye Tools

O Eye Tools é um aplicativo brasileiro, desenvolvido por Evandro Souza. Sua principal função é auxiliar o oftalmologista no diagnóstico de pacientes que precisam de controle da pressão intraocular ou lentes intraoculares.

Através de cálculos e índices, o médico oftalmologista pode realizar diversos cálculos para facilitar seus diagnósticos:

  • IOL CALC: cálculo da dioptria da lente intraocular.
  • BAG SULCUS: para cálculo da lente que corresponde ao sulco com base no saco capsular.
  • IOP-PATCH: cálculo para ajuste da pressão intraocular a paquimetria da córnea.
  • R-VERGENCE: para calcular a dioptria da lente intraocular com base na refração apresentada pelo paciente.

Além dos cálculos citados, o Eye Tools oferece diversos outros. Isso favorece o atendimento com precisão e agilidade.

Atualmente, o aplicativo Eye Tools é disponibilizado somente para smartphones IOS. Seu custo é de US$5.

Eye Model

O Eye Model também é uma criação de Evandro Souza e apesar da sua simplicidade, é de grande utilidade para o oftalmologista. Sua principal função é apresentar um olho humano em 3D, permitindo a visualização por diversos ângulos.

Seu desenvolvimento foi embasado nos modelos de resina utilizados por muitos oftalmologistas. Além da visualização 3D, o Eye Model permite a retirada de camadas para acessar diversas áreas do olho.

Isso facilita a explicação do médico oftalmologista ao paciente sobre o tratamento e procedimentos cirúrgicos que serão realizados. Permite uma demonstração visual para melhorar o entendimento do paciente.

Esse aplicativo é disponibilizado gratuitamente, mas somente para plataformas IOS.

Eye Connect IPEPO

O Eye Connect IPEPO foi desenvolvido pelo Instituto Paulista de Estudos e Pesquisas em Oftalmologia (IPEPO).

Também chamado Instituto da Visão Paulista, o IPEPO é uma entidade sem fins lucrativos que oferece serviços médicos à população e também cursos dentro da oftalmologia.

O Eye Connect foi lançado em 2021 e tem como principal função auxiliar o atendimento oftalmológico na solução de dúvidas apresentadas pelo médico oftalmologista sobre o caso clínico que está abordando.

Com o aplicativo, o médico oftalmologista pode enviar dados sobre o caso em que está atuando, como fotos, vídeos e diagnósticos descritivos. Assim, ele pode solicitar a avaliação de outros colegas que atuam nas mais diversas especialidades oftalmológicas como:

  • Maculopatias.
  • Catarata. 
  • Córnea.
  • Retina.
  • Úvea.
  • Glaucoma e patologias diversas.

Geralmente as dúvidas enviadas pelo oftalmologista recebem respostas em até sete dias. Essa é uma forma que o profissional possui de obter avaliações dos casos por outros especialistas, facilitando sua conduta médica perante o paciente.

O aplicativo Eye Connect é totalmente gratuito e está disponível para os sistemas operacionais Android e IOS.

Verana Vision Test

O Verana foi desenvolvido pela empresa norte-americana Verana Health Inc., que é parceira da Associação Americana de Oftalmologia.

 

Com os riscos de contaminação pelo coronavírus, o Verana Vision Test possui a função de favorecer o atendimento de oftalmologistas aos pacientes através de exame realizados pelo smartphone.

O Verana Vision Test é um aplicativo de suporte ao atendimento por telemedicina, mas sua utilização é prevista para continuar, mesmo após o retorno dos pacientes ao consultório.

Dentre as funcionalidades do Verana Vision Test, as de maior destaque são o teste e monitoramento de acuidade visual e de visão central.

O aplicativo Vision teste utiliza a tela de Amsler para identificar distorções da visão central, possibilitando diagnóstico e tratamentos mais precisos para evitar progressões de doenças da retina.

O Verana Vision Teste é um aplicativo totalmente gratuito, mas é disponibilizado somente para a plataforma App Store.

Vula Medical Referral

O Vula Medical Referral é de alta utilidade para que o oftalmologista possa prestar atendimento a localidades de difícil acesso.

Esse aplicativo foi desenvolvido na África do Sul pelo médico oftalmologista William Mapham. Seu objetivo era atender pacientes residentes em zonas rurais e com dificuldades para buscar cuidados especializados.

Através do Vula, é possível realizar exames pelo smartphone. Os médicos de atenção primária enviam os resultados para oftalmologistas responsáveis para avaliação, diagnóstico e tratamento.

Algumas das funções que o Vula oferece são:

  • Teste de reação de pupila com o flash do telefone.
  • Testes de acuidade visual a partir de gráficos.
  • Compartilhamento de exames, resultados e imagens.
  • Customizações para atender as necessidades do profissional responsável.
  • Comunicação entre paciente e oftalmologista.

O aplicativo Vula é totalmente gratuito e disponibilizado no Google Play e na App Store.

GlassesOn

O GlassesOn tem como função otimizar os exames de optometria com a utilização do smartphone. Ele possui um algoritmo de precisão de +/-0,25D com o uso da câmera do telefone.

A utilização deste aplicativo é simples: basta aproximar a câmera do celular dos olhos do paciente e a leitura é realizada pelo sistema.

 

Inspirado nos refratores utilizados pelos oftalmologistas, o GlassesOn se aplica a médicos e pacientes. No caso de pacientes, vale lembrar que o caso deve ser acompanhado por um oftalmologista.

O aplicativo está disponível na App Store e no Google Play totalmente gratuito.

Esses são alguns dos aplicativos que listamos e considerados verdadeiros facilitadores do atendimento oftalmológico. Seja para o atendimento presencial ou a distância, a tecnologia está sempre em inovação para otimizar o trabalho do oftalmologista e proporcionar maior segurança de diagnóstico e tratamento ao paciente.

Eytec é referência em equipamentos oftalmológicos

A Eyetec é pioneira no desenvolvimento de equipamentos oftalmológicos no Brasil, atuando a quase três décadas com uma linha de produtos de alta confiabilidade.

Com a Eyetec, você pode acessar um estoque completo de equipamentos para venda e locação, que vão facilitar o diagnóstico e tratamento de seus pacientes.

Conte sempre com a Eyetec para aprimorar sua rotina de oftalmologista.

Gostou deste artigo? Deixe seu comentário, compartilhe nas suas redes sociais e continue acompanhando nosso blog para outras novidades. Até a próxima!

 

Microscópio Especular de não contato Vorocell: a melhor escolha para exame pré-operatório de catarata

Microscópio Especular de não contato Vorocell: a melhor escolha para exame pré-operatório de catarata

O microscópio especular é um grande aliado na realização de exames para avaliação e detecção de patologias da córnea.

Apresentando alta eficiência no exame de microscopia especular de córnea, esse equipamento é um grande facilitador no momento de diagnóstico e de avaliações pré-operatórias para catarata e outras doenças que afetam as córneas.

No artigo de hoje falaremos sobre o microscópio especular de não contato Vorocell e a importância de uma avaliação precisa do endotélio no pré-operatório de catarata. Aproveite sua leitura!

 

O que é a catarata?

A catarata é uma patologia ocular que afeta o cristalino, fazendo com que fique com uma aparência esbranquiçada e opaca. Como consequência, ocasiona perda da visão.

O cristalino é uma lente natural do olho, que como o envelhecimento, vai se tornando turva e com perda da transparência. 

No caso da catarata, o processo da doença acontece mais lentamente, mas de maneira progressiva. Logo, diagnosticar a doença no início pode não ser possível.

O exame realizado pelo microscópio especular permite a visualização completa da córnea, facilitando o diagnóstico precoce da catarata.

 

Como é realizado o exame de microscopia especular?

O exame de microscopia especular da córnea, também chamado MEC ou ME, permite a identificação da quantidade e qualidade de células endoteliais da córnea.

A partir do microscópio especular de não contato Vorocell, é possível obter imagens digitais da córnea, que são posteriormente avaliadas por um software. Essa avaliação é focada na qualidade e qualidade das células da córnea, como quantidade por área, formato e tamanho.

Além do diagnóstico preciso da catarata e outras doenças corneanas, o microscópio especular permite o acompanhamento pré e pós-operatório de pacientes, incluindo aqueles que passarão por transplantes de córnea.

Para os casos pré e pós-operatório, o oftalmologista, a partir da microscopia especular de córnea pode seguir protocolos para a proteção das células do endotélio para a prevenção de complicações durante e após a cirurgia.

 

O microscópio especular de não contato Vorocell

Como vimos acima, o microscópio especular de não contato Vorocell é um equipamento que capta as imagens das células endoteliais da córnea para análise através de software.

Porém, com esse equipamento, é possível realizar a captura de até 300 imagens de maneira bastante rápida e simples.

Outro recurso do microscópio especular de não contato Vorocell é a ampliação das imagens em até 200 vezes. Isso permite ao profissional ter uma visualização específica de áreas afetadas, facilitando a conduta de tratamento para um diagnóstico precoce.

A emissão do laudo do exame de microscopia especular pode ser com o relatório completo, com uma curva de evolução de acordo com a idade do paciente e fotos das imagens capturadas.

O laudo também pode receber informações complementares, como gráficos de polimorfismo e polimegatismo, além de dados histológicos e estatística de evolução.

Para o diagnóstico de catarata, o microscópio especular de não contato Varocell possibilita a identificação em um estágio inicial, principalmente em pacientes que possuem doenças que podem afetar a visão, como o diabetes.

O microscópio especular de não contato recebeu o nome Vorocell em homenagem ao criador do modelo matemático para a contagem de células do microscópio. Além desse modelo, também são utilizados os algoritmos conhecidos como Voronoi e diagrama de Delaunay.

A partir desses algoritmos, é possível ter uma precisão sobre o número de células endoteliais em uma área específica da córnea e avaliar se há a presença de início da catarata ou somente uma degeneração normal do cristalino.

Modelos antigos de microscópios especulares realizados a contagem das células de forma manual. Logo, a precisão do diagnóstico era atrelada à experiência do profissional e também, à qualidade da imagem capturada.

Esse é um avanço da medicina oftalmológica com o uso da tecnologia para facilitar o diagnóstico e acompanhamento de doenças como a catarata, que também pode afetar pacientes mais jovens.

 

Características do microscópio especular de não contato Vorocell da Eyetec

O microscópio especular de não contato Vorocell da Eyetec trabalha com um software desenvolvido por áreas de pesquisa como engenharia, matemática, estatística e físicas da USP e Universidade de São Carlos.

Contando com uma tecnologia de processamento de imagens em conjunto com os algoritmos de Delaunay e Voronoi, o software do microscópio especular da Eyetec permite o cálculo e a divisão das áreas de córnea em diversas aplicações, incluindo tecidos orgânicos e contagem celular.

O diagrama do software da Eyetec possibilita a localização exata de cada célula sobre sua foto, área e número de lados. 

 

O microscópio especular Vorocell da Eyetec fornece alta precisão das imagens, mesmo aquelas com baixo contraste. Isso garante a qualidade do exame, independente da experiência do profissional responsável.

Outra característica do microscópio especular da Eyetec é possível realizar a contagem automática de células, com a densidade de cada uma considerada individualmente. Essa é uma forma de eliminar erros de controle que podem comprometer o exame e sua precisão.

O microscópio especular Vorocell da Eyetec também possibilita a localização da célula por cor, identificando sua geometria pelo número de lados.

Um dos grandes diferenciais do microscópio especular da Eyetec é a aprovação da ANVISA para seu software. 

Além da tecnologia inovadora, a Eyetec garante um equipamento completo e de alta precisão, com garantia de confiabilidade pelos órgãos competentes.

A Eyetec realiza diversos testes e ensaios para a fabricação do microscópio especular Vorocell. Estes testes garantem certificação aos produtos da Eyetec, comprovando sua segurança, seja nos quesitos elétricos ou eletromagnéticos, se enquadrando como um produto Classe II Tipo B.

Além de ser fabricado de acordo com as normas regulamentadoras, aprovado pela ANVISA e certificado com padrões de qualidade e segurança, o microscópio especular da Eyetec passa por testes de biocompatibilidade, conforme a norma ISO-10993-1.

Isso significa que as partes do microscópio especular que entram em contato direto com pacientes ou profissionais são fabricadas com materiais atóxicos, sem riscos de reações alérgicas. O equipamento não oferece riscos ou danos em contato com a pele, garantindo ainda mais segurança para o profissional e paciente.

 

Adquira microscópio de contato não Vorocell com a Eyetec

Com todas as características do microscópio especular da Eyetec, é possível constatar que o equipamento é de alta precisão e confiabilidade.

Com a Eyetec, você pode contar com a experiência de quem está no mercado a quase três décadas e é pioneira no desenvolvimento de equipamentos oftalmológicos no Brasil.

Conheça as soluções da Eyetec e adquira o microscópio especular de não contato Vorocell com a marca Eyetec.

Esse artigo te ajudou? Comente, compartilhe nas suas redes sociais e continue acompanhando nosso blog para outras notícias. Até a próxima!

 

O que considerar na hora de comprar equipamentos oftalmológicos?

O que considerar na hora de comprar equipamentos oftalmológicos?

Equipamentos oftalmológicos também passam por evoluções. Com a inovação tecnológica, a medicina oftalmológica é beneficiada com métodos e aparelhos que auxiliam no diagnóstico e tratamento de pacientes.

Com tantas opções no mercado, é muito comum ter dúvidas sobre quais equipamentos oftalmológicos adquirir e como realizar essa atividade junto a um fornecedor de credibilidade.

Neste artigo você verá o que é importante considerar na hora de comprar equipamentos oftalmológico e como escolher as melhores opções para sua clínica ou consultório. Aproveite sua leitura!


Como escolher equipamentos oftalmológicos para a clínica ou consultório?

Antes de escolher os equipamentos oftalmológicos para sua clínica ou consultório, é importante relacionar os aparelhos que você precisará para atender os pacientes de acordo com a sua especialidade na oftalmologia.

Para quem está iniciando na carreira, é fundamental que o consultório comece a operar com equipamentos básicos como refrator, oftalmoscópio indireto, lâmpada de fenda, tela de acuidade, auto refrator, coluna oftálmica e conjunto cadeira.

Independente se o atendimento é básico ou se necessita de equipamentos oftalmológicos mais especializados, é importante manter atenção em alguns fatores antes de fazer a aquisição de aparelhos. Veja sobre isso a seguir.


Selo de aprovação de órgãos competentes

Um desses fatores é adquirir equipamentos oftalmológicos que possuem o selo de regulamentação que comprova a autorização da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade de Tecnologia). 

Quando um equipamento oftalmológico é regulamentado pelo Inmetro, ele apresenta garantia de que não sofrerá interferência magnética e elétrica por parte de outros equipamentos presentes no mesmo ambiente.

Já um equipamento oftalmológico aprovado pela ANVISA possui garantia de que seus componentes não causaram danos à saúde dos pacientes.

Atentar para esses detalhes garantem a segurança da clínica, como também facilita sua regularização para iniciar suas atividades.

Caso opte por realizar a aquisição de equipamentos oftalmológicos usados, observe a origem procedência dos mesmos. Infelizmente, existe um mercado de equipamentos roubados e não é recomendado contribuir com ele.


Escolha do fornecedor

A escolha do fornecedor de equipamentos oftalmológicos deve ser realizada com bastante critério. 

Não basta só a oferta de um bom preço, mas também é necessário verificar a reputação e credibilidade da empresa no mercado e se seus equipamentos correspondem às exigências de aprovação pelos órgãos competentes.

No momento da seleção do fornecedor de equipamentos oftalmológicos, é importante considerar:

 

  • Obsolência tecnológica:

Verificar se os equipamentos oftalmológicos oferecidos pelo fornecedor não estão sendo substituídos por versões mais modernas.

É importante lembrar que equipamentos fora de linha podem não ser tão eficientes no funcionamento e ainda apresentam dificuldades de peças e manutenção especializada caso precise de reparo.

 

  • Orientação:

É importante que o fornecedor forneça todos os detalhes sobre a operação do equipamento oftalmológico oferecido.

O fornecedor deve apresentar o manual de operação do equipamento, além de orientação, treinamentos e materiais complementares sobre suas funcionalidades e métodos de uso durante o atendimento ao paciente.

 

  • Consultoria:

O fornecedor deve demonstrar conhecimento e experiência na apresentação dos equipamentos oftalmológicos. Uma boa empresa presta um serviço de consultoria que auxilia ao profissional adquirir a melhor solução para o seu consultório ou clínica.

Além das características e benefícios do equipamento, o fornecedor deve orientar sobre as soluções mais modernas, aquelas que podem não atender ao que o profissional necessita e até sobre economia de energia.

 

  • Assistência técnica:

Trabalhar com um fornecedor que garanta um bom serviço de assistência técnica é um dos fatores de peso no momento da seleção da empresa. 

Assim como qualquer aparelho, os equipamentos oftalmológicos são passíveis de falha. Se o fornecedor não garante uma assistência técnica de qualidade em momentos como esse, o consultório ou a clínica podem ter prejuízos pelos cancelamentos de exames.

Além da manutenção corretiva, é importante verificar se o fornecedor de equipamentos oftalmológicos oferece também serviços de manutenção preventiva. Assim é possível manter uma revisão periódica dos equipamentos oftalmológicos do estabelecimento.

 

Avaliação de propostas

Considerando os critérios citados acima para a escolha do fornecedor de equipamentos oftalmológico, é o momento de escolher a melhor proposta.

Para essa atividade é importante avaliar cada proposta do ponto de vista financeiro e técnico. Observando a proposta como profissional, é importante verificar as especificações dos equipamentos oftalmológicos e seus benefícios para o diagnóstico e tratamento dos pacientes.

Já com um olhar financeiro, é importante avaliar não só o valor do investimento como também os custos agregados como treinamentos de equipe, serviços de manutenção preventiva e corretiva, consumo de energia, despesas com impostos, fretes e até mesmo instalação.

Um dos pontos a considerar nas propostas são as formas de pagamentos. Alguns fornecedores oferecem descontos especiais para pagamentos à vista ou parcelamentos sem juros. 

Entretanto, as condições de pagamento não devem influenciar na escolha da proposta, já que é uma negociação temporária. O importante é considerar os benefícios do equipamento, seus custos mensais e a assistência do fornecedor.

 

Boas práticas após a aquisição de equipamentos oftalmológicos

Após a aquisição dos equipamentos oftalmológicos, é interessante criar um inventário de toda aparelhagem presente na clínica ou consultório.

Manter uma gestão desses ativos facilitará na contabilidade do estabelecimento e permitirá acompanhar o retorno do investimento.

O sistema de registro dos equipamentos oftalmológicos pode ser através de softwares de gestão ou até mesmo em aplicações auxiliares como o Excel.

É importante manter dados como:

  • Descrição.
  • Data de aquisição.
  • Número de série.
  • Fornecedor.

Além do registro dos equipamentos oftalmológicos, é importante guardar toda a documentação referente ao equipamento oftalmológico adquirido, como notas fiscais, manuais de utilização e os termos de garantia.

Essa documentação é indispensável caso o aparelho apresente algum problema e seja preciso acionar a assistência técnica.

Agora que você já sabe como realizar uma boa aquisição de equipamentos oftalmológicos, conheça o catálogo de produtos da Eyetec.

 

Os melhores equipamentos oftalmológicos estão com a Eyetec!

Com pioneirismo no desenvolvimento de equipamentos oftalmológicos no Brasil, a Eyetec está a quase três décadas no mercado oferecendo tecnologia e qualidade para seus clientes.

A Eyetec oferece para você um amplo estoque de produtos para venda e locação, todos aprovados e com selo da ANVISA e INMETRO.

A Eyetec também oferece preços especiais e um serviço de assistência técnica de confiança.

Para adquirir as melhores soluções do mercado em equipamentos oftalmológicos, a solução é Eyetec.

 

Gostou deste artigo? Deixe nos comentários, compartilhe nas suas redes sociais e acompanhe nosso blog para outras novidades. Até a próxima! 🙂

 

Médico oftalmologista: 4 maneiras de colocar seu paciente no centro do seu tratamento

Médico oftalmologista: 4 maneiras de colocar seu paciente no centro do seu tratamento

O sonho de todo médico oftalmologista é ter clientes fidelizados em seu consultório ou clínica.

Muito mais do que ter um centro equipado com alta tecnologia e precisão para diagnósticos e tratamentos, o médico oftalmologista precisa conquistar o paciente, se destacando pelo seu atendimento.

No artigo de hoje abordaremos sobre a importância de colocar o paciente no centro do tratamento e deixaremos 4 dicas para que o médico oftalmologista consiga conduzir um atendimento diferenciado. Aproveite sua leitura!

Por que ter o paciente no centro do tratamento é importante?

É muito comum que as pessoas tenham um médico de confiança, com quem estabelece uma relação duradoura que passa por gerações. Para o médico oftalmologista não é diferente.

Essa relação de confiança entre médico e paciente se intensificou com a mudança de comportamento da sociedade. Hoje, o consumidor é muito mais exigente e pesquisa bastante antes de contratar um serviço ou adquirir o produto.

Na medicina, é muito comum que futuros pacientes pesquisem sobre a reputação do médico que irá atendê-los. A internet contribui com essas pesquisas, principalmente divulgando avaliações e depoimentos de pacientes. 

O médico oftalmologista também precisa estar atento a essas questões para construir uma reputação sólida e se destacar entre os muitos outros profissionais atuantes no mercado. Principalmente por ser uma especialidade ligada a um dos sentidos principais, sendo a visão.

O paciente no centro do tratamento

Apesar de ser um conceito já existente, o paciente no centro do tratamento ganhou força no cenário pandêmico, onde os pacientes apresentaram muito mais fragilidades.

A premissa para esse conceito é que o paciente tem direito de ser envolvido em todas as decisões que envolvem sua saúde, além de ser tratado com dignidade e ter uma boa experiência durante sua jornada junto ao médico.

Antes de o conceito ser difundido na medicina, a conduta médica seguia um padrão básico que consistia em:

  • Diagnóstico: para identificação da patologia.
  • Tratamento: onde era definida a conduta médica.
  • Paciente: após a definição do tratamento, o paciente era informado sobre os procedimentos que serão realizados.

A medida foi adotada na forma de atendimento humanizado, os profissionais de saúde, incluindo o médico oftalmologista, passaram a trabalhar dentro da jornada do paciente.

Durante a jornada do paciente, o foco deixou de ser apenas no melhor tratamento, mas considerando a individualidade do paciente. 

Além de aumentar a confiança na relação médico-paciente, essa jornada permite que haja uma análise conjunta sobre o tratamento e a rotina de vida do paciente, bem como os impactos que poderão ocorrer.

Muito além de paciente e do tratamento, é importante entende que existe uma pessoa que vive sua individualidade, medos e expectativas. 

Trabalhar com o paciente no centro do tratamento resultou em diversas vantagens, tanto para médicos como pacientes:

  • Melhores resultados:

No momento em que o paciente é colocado como prioridade, a confiança no médico que conduz o tratamento é maior. 

Em consequência, há uma adesão muito maior ao tratamento. Tanto o paciente como a família ficam satisfeitos com os resultados, assim como o profissional responsável.

  • Pacientes mais satisfeitos:

Quando o paciente se apresenta satisfeito, é mais fácil conduzir o tratamento de acordo com a sua individualidade. 

Dessa forma, é possível alinhar as expectativas pessoais do paciente com o tratamento que está sendo aplicado.

  • Profissionais satisfeitos:

Para as equipes de saúde se torna satisfatório quando o paciente é conduzido como o ponto central do tratamento. 

Melhores respostas e recuperação do paciente garante mais positividade para as equipes de saúde envolvidas.

Com base nas práticas do paciente como centro do tratamento e condução da jornada do paciente, continue sua leitura e veja 4 maneiras de colocar seu paciente no centro do tratamento. 


4 maneiras para colocar o paciente no centro do tratamento

Em qualquer especialidade, principalmente na atuação do médico oftalmologista, trabalhar com foco na jornada do cliente garante um tratamento mais tranquilo e satisfatório.

Para que um médico oftalmologista inicie seus atendimentos focado na jornada do cliente, é importante seguir os 4 passos listados a seguir.

 

  • Empatia

Ter empatia é se sensibilizar pela dor do paciente. Manter um atendimento empático, se compadecendo das queixas do paciente e entendendo os incômodos que a doença traz, é um diferencial para estabelecer relações de confiança.

O médico oftalmologista que atende o paciente com empatia demonstra entendimento por sua dor e como ela pode afetar sua vida de diversas maneiras.

Oferecer acolhimento e escutar ver a situação pela perspectiva do paciente resulta em um relacionamento positivo, com maior adesão ao tratamento.

  • Foco na jornada do paciente

O foco na jornada do paciente contemplará todo o relacionamento estabelecido pelo paciente com o consultório ou clínica do médico oftalmologista. 

O atendimento humanizado deve abranger desde o contato para o agendamento da primeira consulta até a realização de exames no local, bem como a interação do paciente com outros especialistas da clínica.

Em termos práticos, existem algumas maneiras simples de priorizar a jornada do cliente:

  • Perguntas: abordar o paciente sobre suas expectativas.
  • Atendimento humanizado: lembrar que o paciente é um indivíduo único.
  • Acessibilidade: manter o espaço apropriado para receber pessoas em diversas condições.
  • Agilidade no atendimento: manter processos que permitam um atendimento mais rápido.
  • Inovação: buscar novas tecnologias e métodos inovadores que favoreçam o atendimento aos pacientes.
  • Colaboração: todos os profissionais envolvidos no tratamento do paciente devem colaborar para seu sucesso.

Essas são medidas simples e fazem parte de uma gestão eficiente da clínica ou consultório.

  • Sistemas de Prontuário Eletrônico do Paciente

Também chamado PEP, o prontuário eletrônico do paciente personaliza o tratamento, já que armazena todas as informações e interações do paciente com a clínica em um só lugar.

Além da evolução do paciente para o tratamento atual, o médico oftalmologista pode acessar o histórico do paciente sobre queixas anteriores, exames e diagnósticos, alterações de lentes e demais informações médicas.

Alguns sistemas de prontuário eletrônico relacionam o histórico médico do paciente com familiares que também já interagiram com a clínica. Isso facilita a investigação de doenças oculares degenerativas que podem ser hereditárias.

  • Integração entre as áreas da clínica

Outro ponto importante é mapear processos que integram as áreas da clínica. Isso deixa a comunicação mais fluida e facilita o atendimento e o tratamento do paciente.

Esse processo pode integrar, por exemplo, áreas de recepção, exames e próprio atendimento médico. O próprio sistema de prontuário eletrônico pode ser customizado com módulos específicos para cada área, mas que se comunicam para compartilhar todas as informações relevantes do paciente.

Investir em treinamento de colaboradores também é importante para garantir mais segurança e conforto ao paciente, que aumentará a confiança na clínica com um atendimento humanizado e personalizado.

Seja para um médico oftalmologista que está iniciando sua carreira ou um profissional com maior experiência, trabalhar com o paciente no centro do tratamento é um grande profissional para aumentar o atendimento e se posicionar no mercado.

Manter uma relação próxima do paciente, dentro do quesito saúde, cria laços de confiança entre o médico oftalmologia, o paciente e sua família. É uma forma de estabelecer um relacionamento duradouro que pode perdurar por gerações.


Se você é médico oftalmologista, a Eyetec tem os melhores equipamentos para o seu consultório

A Eyetec é uma empresa com quase três décadas no mercado, pioneira no desenvolvimento de equipamentos oftalmológicos no Brasil.

Com a Eyetec você se destaca no mercado como médico oftalmologista, trabalhando com soluções de alta tecnologia e qualidade.

Se você é médico oftalmologista e precisa de equipamentos inovadores, a solução é Eyetec.

 

O que achou deste artigo? Comente, compartilhe nas suas redes sociais e acompanhe nosso blog para outras novidades. Até a próxima!

 

A importância do período pós-consulta para fidelizar pacientes

A importância do período pós-consulta para fidelizar pacientes

Muitos profissionais acreditam que para fidelizar pacientes basta um atendimento diferenciado e especializado.

Na verdade, mesmo que o atendimento tenha sido bom, muitos pacientes não retornam ao consultório. Isso pode acontecer porque o período pós consulta foi ignorado.

Para que você saiba como aproveitar o período pós-consulta para fidelizar pacientes em seu consultório, elaboramos este artigo com algumas dicas que vão facilitar a gestão dos seus pacientes e mantê-los fiéis ao seu atendimento. Continue conosco!

 

O que é o período pós-consulta?

O pós-consulta é o período seguinte ao atendimento do profissional de saúde. Ele começa no momento em que o paciente sai do consultório, mas não tem data de término. 

Nesse período, é importante estabelecer estratégias para fidelizar o paciente. É possível também avaliar o nível de satisfação dos clientes com a clínica e criar medidas para melhorar ainda mais o atendimento.

Além de fidelizar pacientes, um pós-consulta eficiente auxilia na redução do número de faltas. É muito comum uma agenda ficar com espaços vagos que não podem ser preenchidos por estarem reservados a pacientes que não compareceram.

Do ponto de vista empresarial, pacientes que faltam em suas consultas representam prejuízo, já que o horário reservado é inutilizado.

Outro ponto favorável do pós-consulta é manter um “marketing boca a boca” garantido. Pacientes satisfeitos tendem a indicar o profissional para familiares e amigos. 

Essa é uma maneira de fidelizar pacientes e atrair outros para o atendimento. Logo, é importante manter o ciclo de melhoria contínua para reter esses pacientes vindos por indicação.

Assim como em qualquer negócio, trabalhar um pós-consulta eficiente para fidelizar pacientes é menos custoso do que investir em estratégias de atração para novos clientes. E considerando alguns dos benefícios acima citados, é possível entender que vale a pena investir no pós-consulta.

Continue sua leitura e veja como estruturar um processo de um pós-consulta eficiente que vai fidelizar seus pacientes e atrair novos.

 

Como criar um processo de pós-consulta para fidelizar pacientes?

O foco principal do pós-consulta é avaliar o atendimento prestado ao paciente. Quando falamos em atendimento, é preciso abranger desde a marcação da consulta até o fim do atendimento pelo médico.

Um paciente satisfeito não só retornará ao consultório com os resultados de exames solicitados como estará pronto para iniciar um tratamento. E isso irá gerar diversas interações com a clínica ou consultório.

Existem alguns fatores que devem ser verificados no momento de estruturar o pós-consulta com o objetivo de fidelizar pacientes. Explicaremos cada um a seguir.


Recepção

Trabalhar com profissionais treinados e capacitados para as funções de recepção e secretária é fundamental para o sucesso do consultório.

Esses profissionais são o primeiro contato do paciente antes da consulta com o médico. Portanto, a recepcionista ou secretária deve manter um bom atendimento ao paciente, já se sentirá acolhido desde o primeiro contato.


Histórico do paciente

Na primeira interação do paciente com o consultório ou clínica, é importante solicitar o preenchimento de dados cadastrais do paciente.

Esses dados serão valiosos para as ações do pós-consulta e a elaboração de estratégias para uma comunicação, não excessiva, com o paciente através dos canais de comunicação informados. 

Uma dessas estratégias, por exemplo, é entrar em contato anualmente para lembrá-lo da revisão de suas lentes ou mandar informações sobre algum novo tipo de tratamento específico para a patologia que ele apresenta.

Avaliação de atendimento

Uma ótima opção para a avaliação do atendimento é solicitar ao paciente o preenchimento de uma pesquisa de satisfação.

As perguntas devem ser simples e com respostas únicas, como escalonadas por intervalos de números ou marcadores de satisfação como “ótimo” ou “ruim”.

É importante que essas perguntas sejam direcionadas a todo o atendimento, desde a recepção à consulta médica. A avaliação de pacientes sobre o atendimento é um indicador sobre a possibilidade de se fidelizar o paciente.


Canais de comunicação

Disponibilizar canais de comunicação para que o paciente possa tirar dúvidas no pós-consulta é uma grande estratégia para fidelizar pacientes.

É muito comum que ocorra dúvidas quanto ao medicamento prescrito ou até mesmo a realização de um exame. Com as facilidades oferecidas pelo WhatsApp, a clínica pode manter um telefone exclusivo para essas dúvidas.

Um ponto importante é manter uma frequência de respostas ao paciente. Do contrário, ele pode entender que o canal não atenderá da forma em que ele precisa. 

Quando o paciente é respondido em tempo hábil, ele se sente acolhido e que o profissional se interessou por resolver a dor dele. Esse diferencial é de alta eficiência para fidelizar pacientes.


Comunicação com o paciente

A comunicação com o paciente está diretamente ligada com o histórico do paciente. É possível utilizar e-mail, WhatsApp e até mesmo SMS para manter uma comunicação periódica com o paciente.

É possível enviar informações diversas, como consultas e tratamentos, felicitações em datas comemorativas, mudança de endereço e até informativos sobre novidades no ramo da oftalmologia, novos serviços do consultório, dentre outros.

É importante realizar essa comunicação moderadamente. Caso contrário, ao invés de fidelizar o paciente, ele acaba se afastando do consultório por excesso de informações que ele julga ser irrelevante.


Compensação para clientes fidelizados

Uma ótima forma de fidelizar pacientes é oferecendo vantagens a eles. Pode ser um desconto em consulta, parceria com alguma ótima que incidirá em desconto na compra de produtos, ou até mesmo um valor diferenciado para determinado tratamento.

Pequenas bonificações fazem com que o paciente se sinta valorizado e indique os atendimentos do consultório ou clínica para outras pessoas.

Logo, essas pessoas podem ser estimuladas pelos benefícios de ser paciente do estabelecimento e busca também fazer parte do grupo de pacientes que serão beneficiados.


Gestão dos pacientes insatisfeitos

Se algum paciente demonstrar insatisfação com o atendimento, é preciso verificar quais pontos desagradaram e precisam ser trabalhados. 

Em alguns casos, é possível contornar a situação junto ao paciente, entendendo qual foi o ponto que gerou insatisfação e o que pode ser feito para que o paciente se sinta mais confortável. 

Gerenciar esse tipo de crise é de suma importância para preservar a reputação da clínica e melhorar os processos de atendimento.

Vale lembrar que da mesma forma que um paciente satisfeito indica pessoas para clínica ou consultório, um paciente insatisfeito não retorna para nova consulta e denigre a imagem da clínica seus conhecidos.


Redes sociais

Estratégias de marketing digital para atrair e fidelizar clientes pelas redes sociais também são bastante eficientes.

Redes sociais como Facebook e Instagram possuem recursos valiosos para entender o posicionamento da clínica ou consultório no mercado, além de possibilitar a avaliação de pacientes.

Pode ser interessante também abrir canais de comunicação através dessas redes para dúvidas de possíveis pacientes sobre formas de agendamento e valores de consultas.


Gestão de indicadores

Manter atenção aos números da clínica ou consultório abre um panorama sobre a eficiência do pós-consulta para fidelizar pacientes. 

É interessante estabelecer métricas sobre a quantidade de pacientes atendidos, aqueles que estão em primeira consulta ou retorno, quantidade de cancelamentos, tempo médio de atendimento, dentre outros. 

Manter um processo de gestão à vista com os dados do pós-consulta pode facilitar a tomada de decisões estratégicas e elaborar um ciclo de melhoria contínua para fidelizar pacientes.

Essas são os principais fatores para trabalhar um pós-consulta eficiente e fidelizar pacientes. É preciso ter em mente que o consultório ou clínica deve ser visto pelo proprietário como uma empresa, que possui despesas e receitas. 

Logo, aprimorar métodos para fidelizar pacientes é uma forma de gerir o negócio com eficiência e lucratividade!

 

 

Gostou deste artigo? Comente, compartilhe nas suas redes sociais e acompanhe nosso blog para outras novidades. Até a próxima! 😉